terça-feira, 17 de abril de 2012

Hospital!

Depois que eu fiz a tal cirurgia para retirar a vesícula, eu pensava que nunca mais precisaria passar horinhas no hospital tomando soro.
Estava aliviada de não precisar sair correndo de casa para o hospital com dores horríveis.
Mas não foi bem isso que aconteceu comigo esse final de semana.

Tudo estava bem, domingo a noite após o culto, fui sair pra comer, comi, estava vendo um filme, e aí liguei pro meu namorado, no final da ligação estava doida gritando pela casa com uma dor nas costas. No início pensei que coluna, estava suando frio. Deitada no chão. Levantei, dois segundos melhor. Depois, voltou a dor, fui no banheiro, vomitei.
Foi quando eu vi que não tinha jeito, teria que ir pro hospital, porque eu já havia sentido aquilo quando eu tinha 12 anos e era pedra nos rins.
Cheguei no hospital aquela fila gigantesca, tudo porque um ônibus de uma festa que estava tendo na minha cidade bateu, fiquei sabendo depois que o caso mais grave do acidente foi uma menina que só enfaixou o braço. Fiquei lá sentada na recepção do hospital quando fui ao banheiro e vomitei tudo que tinha no meu estomago e acho que o barulho e o choro assustou todos da recepção, fazendo com que o enfermeiro fosse atras do médico receitar um remédio. Foi quando eu entrei na sala de medicação. Porém com a dor me matando ainda.Tomei Tramal, mas não adiantou muita coisa, até que mandaram Morfina, que demorou um pouco para fazer efeito.
Fiz uma tomografia, acho que foi ponto alto da madrugada (foi 2h da manhã) era uma pedra de 7mm próximo ao Ureter direito. Não tinha jeito, teria que ser internada.
Demoraram horas para me colocarem no quarto. E teríamos que esperar o médico. Não saberíamos que horas que ele chegaria. Porque aqui no ES era feriado.
E incrível que eu não tinha tomado café, porque alguém da enfermaria leu que minha dieta era zero, o que estava errado, mas isso foi de Deus, porque o médico chegou um pouco antes de 12:00 e perguntou qual era a última hora que eu havia comido e eu lembrei que 23h do outro dia. Aí ele falou: Que bom, vai dar para gente operar antes. Então marcamos a cirurgia para 14h.
Antes de ir para sala de cirurgia, mamãe pegou meu braço e orou comigo, fiquei triste porque ela chorou... E aí que eu não queria chorar para não desesperar mais ela. Na sala de preparação para a cirurgia eu fiquei pensando: Nossa, quando que eu iria imaginar que no dia seguinte eu estaria em um centro cirúrgico, pronta para tomar anestesia de novo. E que anestesia em, pelo amor, Tomei a Peridural, aquela que grávidas tomam antes de ter filho. Foi horrível acordar e não conseguir mexer as pernas, parecia tinha 400 kilos na minha perna.
E o pior era que ninguém conversava comigo, toda hora aparecia alguém e mandava eu esperar pelo doutor. Que só veio hoje de manhã dizendo que não conseguiram tirar a pedra, e que eu estou com o cateter duplo J para abrir espaço para a pedra sair, Afinal é uma pedra de 7mm que teria que passar por canal de 2mm.
Daqui a uma semana eu volto no consultório do médico para ver se a gente consegue tirar.